SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sanepar realiza reuniões em Londrina para explicar regras do PAI e PDVTC

Sanepar realiza reuniões em Londrina para explicar regras do PAI e PDVTC

Publicado em 0 Comentário

Representantes da Sanepar fizeram uma apresentação a respeito do regulamento do PAI  e do PDVTC aos trabalhadores em Londrina

Membros da Comissão de Negociação da Sanepar, acompanhados de funcionários de alto escalão da empresa e do gerente Regional de Londrina, se reuniram ontem (22/08) na parte da manhã com dirigentes sindicais do SINDAEL, SINDAEN e do STAEMCP e à tarde com trabalhadores e trabalhadoras para detalhar os regulamentos do PAI (Programa de Aposentadoria Incentivada) e o PDVTC (Programa de Dispensa Voluntária com Transferência de Conhecimento).

Os encontros foram realizados na ETA (Estação de Tratamento de Água) da Avenida Juscelino Kubitschek.

Eles disseram que esses programas são dirigidos a cerca de 1.300 trabalhadores e trabalhadoras que já estão aposentados ou em condições de requerer este direito e àqueles que pretendem sair da companhia numa condição melhor.

Os representantes da Sanepar explicaram o que está sendo oferecido e disseram que foram feitas algumas mudanças que possibilitaram “um grande ganho” para quem aderir ao PAI e ao PDVTC. Segundo eles, o objetivo é equilibrar o planejamento de renovação e readequação dos quadros funcionais com os interesses dos funcionários.

Regras do PAI

O PAI é dirigido aos trabalhadores e trabalhadoras que já estão aposentados recebendo os benefícios do INSS, com exceção dos aposentados por invalidez, e os que têm condições de se aposentar por idade ou por tempo de contribuição.

A idade mínima para aderir ao programa é de 50 anos para mulheres e de 55 para os homens.

São oferecidas duas opções para receber a indenização: na primeira será pago 65% do salário de referência (salário normal mais o Adicional por Tempo de Serviço) praticado no mês em que for feita a rescisão do contrato de trabalho para cada ano de atuação na Sanepar, com limite de 35 anos. Neste caso, o pagamento será feito em quatro parcelas.

Na segunda opção a empresa oferece 75% do salário de referência praticado no mês em que for feita a rescisão do contrato de trabalho para cada ano de atuação na Sanepar, também com limite de 35 anos. A diferença é que nesta modalidade o pagamento da indenização será feito em 27 parcelas fixas e consecutivas.

Regras do PDVTC

Podem aderir ao PDVTC os trabalhadores e trabalhadoras que tenham, no mínimo, 15 anos de trabalhos prestados pela Sanepar completados até 31 de dezembro de 2017. A empresa irá analisar se aceita ou não a adesão do trabalhador ou trabalhadora, independente de terem cumprido todas as exigências, levando em conta o número de funcionários que atuam na função e as necessidades da empresa relacionadas ao setor.

As regras para pagamento da indenização são iguais às do PAI: 65% do salário de referência praticado no mês em que for feita a rescisão do contrato de trabalho para cada ano de atuação na Sanepar, com limite de 35 anos, pagos em quatro parcelas, ou 75% com o parcelamento em 27 meses em parcelas fixas.

Quem aderir ao PDVTC pela segunda opção receberá o Vale-alimentação e o subsídio do Plano de Saúde por 12 meses depois de feita a rescisão do contrato de trabalho.

O SINDAEL orienta os trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar que preenchem os requisitos do PAI e do PDVTC a analisarem com muita atenção o que está sendo proposto pela empresa antes de tomarem uma decisão.

“O Sindicato é contra esses programas, mas vai realizar Assembleia para que os trabalhadores e trabalhadoras votem pela sua aceitação ou não. Estamos à disposição de todos para esclarecer dúvidas e alertamos que é preciso estar muito seguro da decisão que irão tomar, levando em conta a situação pela qual o País está passando”, ressalta Alexandre Schmerega Filho, presidente do SINDAEL.

Na reunião com a Comissão de Negociação os Sindicatos questionaram se serão preenchidas as vagas deixadas por aqueles que aderirem ao PAI e ao PDVTC. Os representantes da Sanepar disseram que será aberto concurso somente para contratar pessoal nas funções que ficarem em aberto por meio do PAI.

Não aceite pressões

Também foi dito nas reuniões com a empresa que os gestores não poderão pressionar nenhum trabalhador ou trabalhadoras a aderir aos programas. Os representantes da Sanepar afirmaram que ninguém está autorizado a falar em nome da diretoria sobre o PAI e o PDVTC para assediar os trabalhadores e que as denúncias devem ser feitas junto ao RH ou à Ouvidoria.

“Quem se sentir pressionado ou perseguido de alguma forma para tomar essa decisão deve encaminhar denúncia ao Sindicato para que sejam tomadas as devidas providências”, orienta Alexandre.

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *