SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sanepar comemora desempenho no ranking nacional de empresas com dispensa de bons profissionais

Sanepar comemora desempenho no ranking nacional de empresas com dispensa de bons profissionais

Publicado em 1 Comentário

Enquanto prepara a demissão de centenas de bons profissionais por meio de mais um PDV (Programa de Demissão Voluntária) e outro PAI (Programa de Aposentadoria Incentivada), a Sanepar comemora a escalada nos rankings empresariais. 

Na edição do anuário Época Negócios 360º graus, a empresa está na 152ª posição entre as 500 maiores do País em receita líquida e ocupa o 73º lugar entre as 300 melhores em seis dimensões da pesquisa por desempenho.

Graças ao aumento das tarifas, arrocho nos salários, falta de valorização dos trabalhadores e trabalhadoras, a Sanepar conquistou dois primeiros lugares, um no quesito Desempenho Financeiro e outro em Capacidade de Inovar.

Já nas dimensões Visão de Futuro e Práticas de RH, como era de se esperar, ficou em terceiro lugar. Aparece ainda no quinto lugar em Governança Corporativa.

Mas o destaque é mesmo é no quesito Retorno Total, que diz respeito ao pagamento de dividendos aos acionistas e valorização das ações na Bolsa de Valores. Neste critério, a Sanepar saltou do 111º lugar para o 62º entre 2015 e 2016.

Tudo isto, para o presidente da companhia, Mounir Chaowiche, é fruto da busca do desenvolvimento contínuo. Para ele “na Sanepar se vive o saneamento de forma plena e com dedicação sem limites. Os resultados alcançados e o reconhecimento são consequências do trabalho feito por uma equipe de trabalhadores motivados, com domínio da técnica e cientes do papel importante que exercem na sociedade”.

Discurso não reflete a prática

Infelizmente, esse discurso do presidente da Sanepar está distante da realidade em que vivem os trabalhadores e trabalhadoras, que têm um Plano de Cargos e Salários como um mero enfeite, pois não serve para valorizar aqueles com maior tempo de empresa por não ter mecanismos de ascensão profissional. Apesar dos apelos dos Sindicatos, esta questão nunca é objeto de negociação.

Basta ver que muitos cargos de chefias e gerências são indicações políticas, como a própria Presidência e diversos outros cargos da Diretoria. Tem ainda a questão dos comissionados, pessoas que caem de paraquedas na Sanepar, não têm responsabilidades e, muitas vezes, nem mesmo conhecimento algum a sobre saneamento.

O PDV e o PAI também são exemplos da falta de atenção que essa gestão da empresa tem com seu corpo de funcionários. A maioria dos que estão aderindo a esses programas não tem perspectivas de crescimento na Sanepar. São pessoas que acreditam poder com a indenização oferecida ou com os benefícios da aposentadoria seguir novos rumos com algum dinheiro a mais no bolso.

A cláusula do regulamento do PDV que proíbe a recontratação dos trabalhadores que saírem por esse instrumento é mais uma demonstração dessa política de descaso com os bons profissionais que a empresa tem. Com ela, a direção da Sanepar parece querer fazer uma reserva de vagas estratégicas para aposentados da Caixa Econômica Federal e de outras empresas públicas, fechando as portas para aqueles que dedicaram vários anos de suas vidas na construção da empresa que é destaque nacional, não por mérito desses poucos, mas pelo conjunto de seus empregados.

Felizmente, o mundo dá voltas e os que hoje são responsáveis por essa política, que só visa lucros maiores e distribuição de dividendos cada vez mais altos aos acionistas, estarão em outra posição num futuro não muito distante. Se até lá a Sanepar não for privatizada por completo, seus trabalhadores e a população paranaense poderão viver uma nova era, na qual o interesse público e o respeito a quem merece serão prioridades da empresa.

  • Antonio BC

    NINGUEM está sendo obrigado a sair da empresa.
    Adere ao PAI ou PDV quem QUER.

    25 de agosto de 2017 at 18:51

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *