SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sindicatos majoritários protocolam ofício solicitando negociações com a Sanepar

Sindicatos majoritários protocolam ofício solicitando negociações com a Sanepar

Publicado em 0 Comentário

Em ofício protocolado ontem (2/05), junto à direção da Sanepar, os Sindicatos que representam a maioria dos trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar solicitam a retomada das negociações em torno do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) 2018/2019.

Esta iniciativa foi tomada com o objetivo de criar um canal de diálogo com o novo comando da empresa, já que a gestão anterior, de triste lembrança, limitou-se em apresentar uma proposta contendo apenas a reposição da inflação nos salários, sem se posicionar a respeito das demais reivindicações.

Na ocasião, o novo diretor Administrativo da Sanepar, Sérgio Veroneze, recebeu dirigentes do SAEMAC e disse que primeiramente vai se inteirar a respeito da situação junto à Comissão de Negociação e Relações Sindicais. Em seguida, segundo ele, será convocada reunião com as entidades sindicais para retomar as discussões que envolvem o ACT, dada a importância desta questão, tanto para a empresa, quanto para os trabalhadores e trabalhadoras.

Demora causa descontentamento

No ofício, os Sindicatos majoritários ressaltam que essa demora no fechamento das negociações está provocando profundo descontentamento no quadro, uma vez que a pauta de reivindicações foi entregue em dezembro de 2017 e, desde então, só ocorreram duas reuniões, sem que fosse apresentado qualquer avanço por parte da Sanepar.

“Nossa data base é 1º de março, mas já estamos no início de maio e até agora nada de reajuste nos salários, que já estão pra lá de defasados e insuficientes para fazer frente ao alto custo de vida dos dias atuais”, salienta Alexandre Schmerega Filho, presidente do SINDAEL.

De acordo com Alexandre, a expectativa dos trabalhadores e trabalhadoras é de que seja renovada a tal Comissão de Negociação da Sanepar, haja vista que há anos seus membros são os mesmos funcionários de carreira, que ganham altíssimos salários e sempre estiveram a serviço da diretoria de plantão, sem se preocupar com os demais colegas e as suas necessidades, ao mesmo tempo em que a empresa comemora lucros cada vez mais altos.

“Acreditamos que a mudança tem que ser geral para mudar, de fato a forma de agir da empresa em relação à política de pessoal, inclusive com o desligamento dos consultores estratégicos, conforme determinou a Justiça, e o fim de indicações políticas para os cargos comissionados”, acrescenta o presidente do SINDAEL.

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *