SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Deputado denuncia na AL “farra” dos altos salários na Sanepar

Deputado denuncia na AL “farra” dos altos salários na Sanepar

Publicado em 0 Comentário

Requerimento aprovado, por unanimidade, na Assembleia Legislativa, exige informações da Sanepar sobre gastos com “consultores” e a remuneração da diretoria


O deputado Anibelli Neto (MDB) denunciou na tribuna da AL (Assembleia Legislativa) na sessão do dia 21 de maio, em Curitiba, que a Sanepar aumentou em 244% os gastos com remuneração de sua diretoria entre 2010 e 2017.

De acordo com o deputado, os dados disponíveis nos relatórios financeiros da Sanepar mostram que os gastos com o Conselho de Administração, Diretoria Executiva e Conselho Fiscal saltaram de R$ 3,5 milhões em 2010 para R$ 12,1 milhões em 2017.

O deputado falou ainda dos cargos de “consultores estratégicos”, que foram criados pela direção da empresa de forma irregular, conforme julgou o Tribunal de Justiça do Paraná, e que devem ser extintos, como discursou a governadora Cida Borguetti.

“A criação foi uma aberração, feita por um governo que não vai deixar saudades. Foram criados 30 cargos de consultores estratégicos. Mas consultores estratégicos para quem, em benefício de quem? O que mais parece é o uso da Sanepar para politicagem”, afirmou Anibelli, que é do bloco de oposição a Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa.

Ele citou ainda os aumentos nas tarifas da Sanepar durante o governo Richa, que chegaram a139% para uma inflação acumulada no período de 57%.

“Se por um lado a população foi punida com os reajustes das tarifas, os gastos da Sanepar com a própria diretoria explodiram e cargos comissionados foram criados de maneira irregular. Isso mostra que a Sanepar foi administrada com foco não na qualidade dos servidos, mas voltada aos interesses dos acionistas e para politicagem”, criticou o deputado.

Após feita essa denúncia Anibelli Neto a AL aprovou, por unanimidade, pedido de informações ao presidente da Sanepar, Ricardo Soavinski, questionando qual o valor gasto pela empresa com as remunerações dos 30 cargos estratégicos criados de maneira irregular e também quais as providências estão sendo tomadas pela Sanepar para conter essa sangria.

E enquanto uns poucos recebem altos salários os cerca de 7 mil trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar enfrentam, mais uma vez, a dificuldade de obter um reajuste acima da inflação, sabendo que existem plenas condições para isso, mas sempre a falta vontade quando se pensa em valorizar aqueles que realmente produzem.

Fonte: Blog do Angelo Rigon

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *