SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sociedade na CS Bioenergia gera prejuízo de R$ 100 milhões para a Sanepar

Sociedade na CS Bioenergia gera prejuízo de R$ 100 milhões para a Sanepar

Publicado em 0 Comentário

Após quatro anos de operação em fase experimental, a CS Bioenegia acumula prejuízos

Dinheiro jogado no lixo. Parece que foi isso o que ocorreu na sociedade firmada em 2014 entre a Sanepar e a Cattalini, empresa que atua na produção de gás metano a partir do lodo gerado na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Belém, em Curitiba.

Dessa parceria surgiu a usina CS Bioenergia, na qual, conforme revela o site Contraponto, a Sanepar investiu R$ 100 milhões.

O objetivo era gerar energia elétrica para 2.000 casas a partir de 2016, o que acabou não ocorrendo por falta de contrato entre a empresa e a Copel para distribuição desse produto.

Clique aqui para ler a matéria do site  Contraponto.

Ainda de acordo com o site, no final de 2018 a Cattalini solicitou da Sanepar um empréstimo de R$ 10 milhões para adquirir equipamentos mais modernos, alegando não ter conseguido esse dinheiro junto aos bancos por problemas cadastrais.

Resultado: a companhia pública não concordou em fazer o empréstimo, mas cogitou a possibilidade de fazer um aporte financeiro na CS Bioenergia, mas nem isso acabou sendo feito devido a um impasse gerado entre os acionistas, temerosos com o fato de colocar mais dinheiro na usina que nem mesmo saiu de sua fase experimental.

A consequência de tudo isso foi a morte das bactérias responsáveis pela geração do gás metano em função do resfriamento dos tanques.

Quem vai pagar a conta?

Da mesma forma como ocorreu no ano passado com a licitação para escolha da empresa que forneceu um sistema para controlar os setores contábeis, de finanças e de recursos humanos da Sanepar, por R$ 108 milhões. Muitas suspeitas recaem sobre o “investimento” de R$ 100 milhões feito pela empresa na usina CS Bioenergia.

Resta saber quem são os responsáveis pela aprovação dessa parceria com a empresa Cattalini e como se deu esse processo arriscado que, já de início, não demonstrava um retorno seguro para um “investimento” tão alto?

O site Contra Ponto e outros setores da imprensa paranaense cobram respostas, assim como os Sindicatos, que não admitem o fato de a Sanepar ter torrado R$ 100 milhões em tão pouco tempo sem que houvesse uma investigação ou auditoria para apurar quem saiu ganhando nessa transação.

Nos balanços publicados no site http://bit.ly/2GIpZd8, nos anos de 2014 e 2015 a empresa fechou com prejuízos, respectivamente, de R$ 4.694.875,15 e R$ 13.088.152,63.

Com a palavra o Ministério Público, o Tribunal de Contas do Estado e o governo do Paraná, que na condição de maior acionista da Sanepar tem obrigação de saber onde esses recursos foram parar.

Fonte: Contraponto

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *