SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Negociação prossegue, mas sem proposta concreta para questões econômicas

Negociação prossegue, mas sem proposta concreta para questões econômicas

Publicado em 3 Comentário

Os Sindicatos Majoritários reafirmaram a reivindicação de aumento real nos salários e mecanismos de valorização dos trabalhadores

Dirigentes dos Sindicatos Majoritários (SAEMAC, SINDAEL, SINDAEN e STAEMCP) participaram nesta sexta-feira (29/03), em Curitiba, de reunião com a Comissão de Relação Sindical da Sanepar para discutir a renovação do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) 2019/2020.

Foram discutidas as reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras e analisados os números apresentados pela empresa na tentativa de se chegar a uma proposta de consenso. Da mesma forma como ocorreu na rodada anterior, o novo modelo de negociação não permite que o provável índice de reajuste a ser aplicado nos salários, vales e demais verbas seja divulgado.

A proposta será submetida à análise do CCEE (Conselho de Controle das Empresas Estaduais) e da CPS (Comissão de Política Salarial), para depois ser colocada para deliberação da Assembleia Unificada das bases dos Sindicatos majoritários.

Durante a reunião, os dirigentes sindicais ressaltaram que os saneparianos e saneparianas não abrem mão de ganho real, lembrando que a maioria das categorias de trabalhadores está fechando acordos com essa conquista. De acordo com o Dieese, (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), as perdas acumuladas dos trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar já somam 14,59%, ao mesmo tempo em que o lucro líquido da empresa cresceu 560% entre 2011 e 2018, saltando de R$ 135 milhões para R$ 892 milhões. Além disso, as tarifas cobradas da população paranaense aumentaram 140% nos últimos oito anos.

Ainda de acordo com o Dieese, o custo de folha da Sanepar vem sendo reduzido nos últimos anos, pois o número de trabalhadores caiu 6%, passando de 7.473 para 7.022. Com isso, a empresa está gastando menos com pessoal e a distribuição da riqueza gerada muda de forma significativa.

O relatório DVA (Distribuição do Valor Adicionado), demonstra que em 2010, de toda a riqueza gerada pela Sanepar 41% era destinada aos trabalhadores, em 2018 caiu para 35%. Atualmente menos riquezas são destinadas aos trabalhadores e trabalhadoras. Os acionistas já pegam 14% da riqueza.

Proposta decente

Ao final da negociação, os Sindicatos majoritários cobraram agilidade na apresentação de uma proposta final e que esta esteja próxima dos anseios dos trabalhadores e trabalhadoras, contemplando não só o ganho real nos salários, benefícios e verbas, bem como pontos que valorizem de fato aqueles que realmente vestem a camisa da Sanepar.

  • Fernando

    Eu, assim como muitos companheiros, gostaria de saber como está a situação da análise do acordo coletivo pelo CCEE e CPS. Há alguma previsão para acontecer a Assembléia Unificada? Grato.

    23 de abril de 2019 at 16:14
  • José ferreira de souza

    Parabéns ao sindael pelo avanço na negociação , porem gostaria de saber se está incluido a isonomia ao plano de saúde para os que foram admitidos a partir de 2002 , esta é uma pauta que precisamos muito muito.

    1 de abril de 2019 at 18:06
    • armando

      Bom Dia, José Ferreira de Souza. A avaliação dos Sindicatos Majoritários dos trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar é de que este Plano de Saúde tem vida curta. Quem se aposentar na empresa poderá sacar o saldo da Fusan e só poderá utilizar os serviços médicos por mais 2 anos. Depois será excluído automaticamente.
      A Fusan é a Fundação ficaram de abrir um canal de discussão sobre a questão porque a Sanepar não pretende investir no Plano, que precisaria de um aporte de R$ 500 milhões e a Companhia não tem interesse em fazer isso para atender que entrou após este período. Ou seja: não irá assumir porque a “menina dos olhos” da Sanepar são os investidores e tudo o que representar no aumento dos lucros.
      Seria necessário construir um forte mobilização dos trabalhadores e trabalhadoras que ingressaram na empresa após março de 2002 para, junto com os Sindicatos, garantir a isonomia e fazer com que a direção da Sanepar enxergue o Plano de Saúde como investimento, não como despesa.
      Um abraço!

      3 de abril de 2019 at 14:26

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *