SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sanepar: valorização dos trabalhadores ficou apenas no discurso

Sanepar: valorização dos trabalhadores ficou apenas no discurso

Publicado em 2 Comentário

Proposta da Sanepar será submetida à avaliação da Assembleia Geral. Sindicatos majoritários defenderão a rejeição

Seis meses de espera para a finalização das negociações em torno do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) 2019/2020 e o resultado é a frustração dos trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar com a proposta apresentada pela empresa nesta quarta-feira (5/06).

Reajuste de 3,94% nos salários, que é a reposição da inflação acumulada desde a última data base, e os demais pontos representam retrocessos, como o Vale-alimentação de Final de Ano diluído em 12 vezes; repasse em dinheiro do material e uniforme escolar; e a suspensão do Abono Indenizatório.

Em relação ao Abono, a Sanepar disse que pretende desmembrar do ACT, para que seja regulamentado em um instrumento em separado, da mesma forma como o PPR. Mas para isso ocorrer, a categoria precisará aprovar na Assembleia a proposta sem o Abono, concordando com a retirada desse direito.

Outro ponto que traz preocupação é o fim do desconto da Taxa Assistencial em favor dos Sindicatos, medida que vai enfraquecer a organização dos trabalhadores e trabalhadoras da Sanepar e que está sendo contestada no STF (Supremo Tribunal Federal) por ser considerada inconstitucional.

Nenhum direito a menos!

Segundo Marco Antonio De Paula Santana, presidente interino do SINDAEL, que participou da reunião desta quarta-feira (5), com a Sanepar, em Curitiba, os Sindicatos majoritários estarão reunidos para definir as estratégias de luta para reverter a decisão do CCEE (Comitê de Controle das Empresas Estatais) e fazer com que a companhia valorize, de fato, seu quadro.

“Essa proposta caiu feito uma bomba entre os trabalhadores da Sanepar, que esperavam algo a mais, já que a cada ano o lucro vem aumentando, assim como os dividendos pagos aos acionistas. Além disso, o corte de pessoal tem sido sistemático, reduzindo de forma significativa os custos operacionais, dando, com certeza, uma margem maior para contemplar aumento real nos salários e manter todos os direitos previstos no ACT”, argumenta.

Marco afirma que o indicativo de paralisação ainda está em pé e que após reunião dos Sindicatos majoritários será definida um calendário de mobilização dos saneparianos.

“Todos já estão convocados a participar da Assembleia unificada das bases dos Sindicatos majoritários para rejeitar essa proposta da Sanepar. A união será fundamental para reverter esse posicionamento e impedir retrocessos no ACT”, ressalta.

  • Ariel

    A empresa apresentou praticamente 1 bilhão de reais de lucro líquido e recompensa os funcionários com 1 step e essa proposta absurda.

    6 de junho de 2019 at 09:23
  • Juliano de Souza

    Já começou abrir mão de direitos que conquistou mais de dez anos. Como diz um filósofo conhecedor de economia, quer emprego escolha entre ter direito ou seu emprego.

    5 de junho de 2019 at 21:58

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *