SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sindicatos discutem com a Sanepar recadastramento dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade

Sindicatos discutem com a Sanepar recadastramento dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade

Publicado em 0 Comentário

Os Sindicatos estão negociando com a Sanepar o recadastramento dos Adicionais de Inslubridade e de Periculosidade para garantir os direitos dos trabalhadores que atuam em áreas de risco

Dirigentes dos Sindicatos Majoritários se reuniram na quarta-feira (2/10), em Curitiba, com a gerente da GGPS (Gerência de Gestão de Pessoal e Serviços de Segurança e Medicina do Trabalho), Daniela Fiaoramosca, para discutir a Resolução Conjunta publicada pela Sanepar no dia 18 de setembro, anunciando a realização do recadastramento dos trabalhadores que recebem os Adicionais de Insalubridade e Periculosidade.

A reunião com a empresa foi motivada pela intranquilidade dos trabalhadores e trabalhadoras em relação ao corte deste direito, levando em conta o elevado número de atividades exercidas em áreas consideradas insalubres ou de alta periculosidade.

De acordo com a Resolução, este recadastramento se dará em três etapas: na primeira etapa, o envio dos Formulários de Recadastramento das Gerências à GGPS. Na segunda, Avaliação Técnica e Analise dos Formulários de Recadastramento, por fim, a Implantação, que deve ocorrer a partir de janeiro de 2020.

Foi acordada com a gerente de GGPS que será realizada uma nova reunião entre os representantes dos Sindicatos para definir quais atividades são realmente consideradas insalubres ou que oferecem periculosidade, tendo como base uma análise detalhada, para que seja feito o enquadramento de cada uma das funções, levando em conta o que estabelece a legislação trabalhista.

Os Sindicatos Majoritários protocolarão ofício junto à Sanepar solicitando que a próxima reunião com GGPS ocorra em no máximo 10 dias.

De acordo com o presidente interino do SINDAEL, Marco Antonio De Paula Santana, as entidades estão empenhadas em acompanhar o recadastramento e negociar amplamente com a Sanepar para garantir os Adicionais aos trabalhadores que realmente atuam em áreas de riscos.

“Estão em jogo neste processo não só as verbas recebidas a título de Adicional de Insalubridade e de Periculosidade, mas também a saúde e segurança de muitos trabalhadores e trabalhadoras”, ressalta.

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *