SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Reunião dia 7/02 no MPT discute o recadastramento dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade

Reunião dia 7/02 no MPT discute o recadastramento dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade

Publicado em 0 Comentário

Atitude da diretoria da Sanepar trata com descaso a segurança e a saúde dos trabalhadores que atuam com produtos altamente tóxicos

Representantes dos Sindicatos Majoritários e da Sanepar participarão no dia 7 de fevereiro, na sede do MPT (Ministério Público do Trabalho), em Curitiba, de uma reunião de mediação na tentativa de celebrar um acordo a respeito do recadastramento dos trabalhadores e trabalhadoras com direito aos Adicionais de Insalubridade e de Periculosidade.

O pedido de intermediação do MPT foi feito em dezembro do ano passado depois que as entidades sindicais levantaram inúmeros questionamentos acerca dos procedimentos adotados pela empresa e de terem cessadas as tentativas de se chegar a uma solução administrativa.

Os Sindicatos questionam os laudos, solicitados de forma unilateral pela Sanepar e elaborados pelo SESI/PR, por serem baseados em normas ultrapassadas, que não estão de acordo com a realidade do trabalho nos setores que apresentam riscos e deixam de considerar diretrizes mais atuais e extremamente pertinentes ao caso.  Além disso, esta decisão se mostra parcial ao privilegiar determinadas categorias com a manutenção dos adicionais em detrimento de outras, mais expostas aos riscos em ambiente de trabalho.

Para impedir perdas aos trabalhadores e trabalhadoras, foi solicitado ao MPT que os laudos sejam refeitos com a participação das entidades sindicais e que os Adicionais sejam mantidos a todos aqueles que recebem atualmente estes direitos até que haja uma deliberação em relação a essa demanda entre as partes.

Defesa dos filiados

Com o objetivo de evitar prejuízos aos trabalhadores, o SINDAEL acionou sua assessoria jurídica para ingressar com ação no sentido de garantir a manutenção dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade para todos os seus associados que atuam em atividades de risco.

“Vamos priorizar a defesa de quem é sindicalizado, pois existem custas para acionar a Sanepar na Justiça e esse dinheiro tem que ser gasto com aqueles que pagam voluntariamente suas mensalidades para manter o Sindicato”, argumenta Marco Antonio de Paula Santana, presidente interino do SINDAEL.

Fonte: SAEMAC

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *