SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Sindicatos Majoritários definem estratégias para negativa de alterações no PAI

Sindicatos Majoritários definem estratégias para negativa de alterações no PAI

Publicado em 2 Comentário

Em reunião realizada na quinta-feira (5/03), em Londrina, dirigentes dos Sindicatos Majoritários (SINDAEL, SAEMAC, SINDAEN e STAEMCP) discutiram e definiram estratégias para a postura apresentada pela Sanepar em relação à contraproposta das entidades para o Regulamento do PAI (Programa de Aposentadoria Incentivada).

O primeiro encaminhamento é a solicitação de intermediação do MPT (Ministério Público do Trabalho) nas negociações do PAI, já que a diretoria da empresa se mostrou intransigente neste sentido e quer vincular as discussões desse programa com o ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) 2020/2021.

A pauta de reivindicações do ACT, aprovada em Assembleia Geral Unificada, foi protocolada junto à Sanepar no dia 28 de dezembro de 2018, mas desde então foi realizada somente uma reunião para discutir os anseios apontados pelos trabalhadores e trabalhadoras.

Para evitar a perda de conquistas presentes no atual ACT, as entidades vão solicitar à empresa a garantia da manutenção da data base em 1º de março.

Em relação ao PAI, os Sindicatos Majoritários entendem que não é possível encaminhar esse processo na forma como a diretoria da Sanepar quer, assumindo assim parte do ônus aos trabalhadores que aceitarem o desligamento nas condições impostas.

Para os dirigentes sindicais, não se pode admitir que os aposentados ou trabalhadores em condições de se aposentar fiquem, por exemplo, sem o reajuste a ser definido no ACT  2020/2021, ou mesmo abram mão do PPR (Programa de Participação nos Resultados) referente a 2019.

Adicional Insalubridade

Na reunião realizada nesta quinta-feira (5/03), em Londrina, os dirigentes dos Sindicatos Majoritários também discutiram ações em relação ao corte do Adicional de Insalubridade dos trabalhadores das ETAs e ETEs. 

As entidades não concordam com a tabela de exposição de riscos apresentada pela Sanepar, na qual aqueles que atuam na maior parte do tempo em salas com ar condicionado, como coordenadores e técnicos de segurança no trabalho, tenham sido contemplados com a manutenção desse direito, enquanto quem realmente está exposto aos efeitos nocivos dos agentes químicos e biológicos tiveram cortado o Adicional de Insalubridade.

Dos diversos locais de trabalho apontados pelos Sindicatos como forma de contestar os laudos do SESI apresentados pela Sanepar, a diretoria da empresa só solicitou provas de que o grau de insalubridade é elevado em algumas unidades, como se a exposição não estivesse no mesmo nível em todas as unidades de tratamento de água e esgoto.

  • Vera

    Bom dia,
    Acredito que todos que pretendem aderir ao programa são capazes de tomar suas decisões a Sanepar fez a proposta os Sindicatos devem colocar em votação simples assim.
    Esclarecer os pontos e cada um que tome a decisão que julgar ser melhor.

    6 de março de 2020 at 13:25
  • Eliane do Rocio Hekave

    Como os Sindicatos podem decidir uma prerrogativa que é dos empregados que estão interessados em sair no PAI?
    Estão agindo com uma postura impositiva.
    Deveriam ser marcadas assembléias para que os interessados possam decidir sobre o Programa.
    Os empregados também podem pedir intermediatação junto ao MPT para que isso ocorra

    6 de março de 2020 at 12:15

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *