SINDAEL - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ÁGUA, ESGOTO E SANEAMENTO AMBIENTAL DE LODRINA E REGIÃO


Conheça Londrina

Conheça Londrina



O início da povoação de Londrina data de 1930, quando ali chegaram os primeiros compradores de terra e os colonos nacionais, alemães e japoneses, procedentes do Estado de São Paulo, orientados por agenciadores da Companhia de Terras Norte do Paraná.

Implantou-se o plano de colonização e povoamento do setentrião paranaense, de propriedade da Companhia de Terras Norte do Paraná, sendo sua maior acionista a firma “Paraná Plantations Limited” de Londres, em virtude de compra de mais de 500.000 alqueires de terras, com a outorga do competente título de propriedade pelo Governo do Estado Em chácara experimental, foram cultivados cereais, café, algodão, tungue, frutas e fibras têxteis. A pecuária também se estabeleceu positivamente.

O Distrito Policial de Londrina foi criado em 1933, no Município de Jatahy.
O topônimo dado à nova Cidade foi decidido, em 1929, numa reunião dos fundadores da Companhia de Terras Norte do Paraná, tendo o Presidente da Companhia, João Sampaio, em virtude da ligação existente entre a nova povoação e Londres, de onde vieram os fundadores e os recursos para o seu desenvolvimento, opinado pela denominação Londrina.

Formação Administrativa

O Distrito e o Município, com terras de Jatahy, foram criados em 3 de dezembro de 1934, pelo Decreto-Lei n.º 2.519. A instalação ocorreu em 1.º de dezembro do mesmo ano.
Na ocasião, o Município figurava apenas com o Distrito-Sede. Atualmente compõem-no os de: Londrina (Sede), Guaravera, Irerê, Lerroville, Maravilha, Paiquerê, São Luiz, Tamarana e Warta.
O termo foi criado em 3 de dezembro de 1934 e a Comarca, em 18 de janeiro de 1938.
Atualmente, é de entrância final e sua jurisdição abrange os termos de Londrina, Guaravera, Irerê, Lerroville, Paiquerê, São Luiz, Tamarana, Maravilha e Warta.
Gentílico: londrinenses.

Distâncias
Cascavel – PR  – 391 km
Curitiba – PR – 379 km
Florianópolis – SC – 686 km
Foz do Iguaçú – PR – 530 km
Joinville – SC – 516 km
Maringá – PR – 114 km
Paranaguá – PR – 489 km
Ponta Grossa – PR – 273 km
Porto Alegre – RS  – 1040 km
Santos – SP – 600 km
São Paulo – SP – 528 km

Pedágios

Londrina – Curitiba
Pedágio km 321 – Pedágio Ortigueira – BR 376
Pedágio km 377 – Pedágio Imbaú – BR 376
Pedágio km 457 – Pedágio Tibagi – BR 376
Pedágio km 537 – Pedágio Witmarsun – BR 376
Pedágio km 132 – Pedágio São Luiz do Purunã – BR 277

Curitiba – Litoral
pedágio km 60 – Via Paranaguá – BR 277 – Rod. Gov. Ney Braga
pedágio km 637 – Via São José dos Pinhais – Curitiba/Divisa de Santa Catarina – Sentido Garuva – BR 376

Londrina – Foz do Iguaçu
Pedágio km 178 – Pedágio Arapongas – BR 369
Pedágio km 201 – Pedágio Marialva – BR 376
Pedágio km 127 – Pedágio Floresta –  PR 317
Pedágio km 378 – Pedágio Campo Mourão – BR 369
Pedágio km 494 – Pedágio Corbélia – BR 369
Pedágio km 620 – Pedágio Céu Azul – BR 277
Pedágio km 704 – Pedágio São Miguel do Iguaçu – BR 277


Limites
Apucarana, Arapongas e Ibiporã Tamarana, Cambé, Sertanópolis, Assaí, São Jerônimo da Serra, Ortigueira, Marilândia do Sul


Clima e Temperatura

O clima de Londrina, segundo a classificação do Köppen, é do tipo Cfa, ou seja, clima subtropical úmido, com chuvas em todas as estações, podendo ocorrer secas no período de inverno. Sendo a temperatura média do mês mais quente, superior a 29°C, e a do mês mais frio, inferior a 10°C.
Londrina, localizada num espigão, apresenta verão quente e inverno ameno, com índices de umidades relativa do ar em torno de 76,6% no verão e 67,6% no inverno, e com a umidade relativa média de ano situada em 67,0%.

Pólo de uma região essencialmente agrícola, Londrina sempre foi beneficiada por um regime pluviométrico bem distribuído durante todo o ano, sendo raríssimos os períodos de grandes estiagens ou chuvas prolongadas, sendo janeiro, fevereiro e junho, os meses mais chuvosos e, agosto, novembro e dezembro, os meses mais secos.


Relêvo
levemente ondulado


Hidrografia

O sistema hidrográfico do Paraná, pela declividade do relevo em direção a Oeste, em sua grande maioria drena neste sentido, formando a Bacia do Paraná que, por sua vez, interliga a Bacia do Prata.
Porém, o subsistema hidrográfico do Município corre no sentido predominantemente de Oeste para Leste, uma vez que o relevo está genericamente inclinado da região de Londrina para o Rio Tibagi, que tem o sentido Sul-Norte, desaguando no Rio Paranapanema, um dos tributários do Rio Paraná.

Os principais rios do Município são Taquara, Apucarana e Tibagi. Este último com grande potencialidade hídrica percorre uma extensão aproximada de 69,25 km no município. O aproveitamento dos recursos hídricos do Rio Tibagi é ainda muito pequeno. Seu potencial hidrelétrico é avaliado em 1.500 mw, porém, somente uma usina existente tem potência superior a 20 mw (Usina Hidrelétrica Presidente Vargas). Os principais ribeirões são: Apertados, Cafezal, Apucaraninha, Jacutinga, Cambezinho, Bom Retiro e Quati


Geologia/Solo

Topografia mais plana e acidentada, apresenta tipos de solos diferentes, conseqüentemente de fertilidade variável.
A camada de solo é de profundidade variável, indo de várias dezenas de metros, nos espigões até a menos de um metro, próximo aos ribeirões, onde, na maioria das vezes, a água flui sobre a superfície compacta do basalto.
O mO solo da região é de origem basáltica, entretanto, conforme a sua localização, em telhor solo de Londrina e um dos mais férteis do mundo está na região setentrional do Município, que se caracteriza por um topografia mais plana. Aí, predominam os solos Terra Roxa Estruturada Eutrófica, Latossolo Roxo Eutrófico e, em menor quantidade, o Brunizen Vermelho e o Litólico Eutrófico. Aos primeiros, só se comparam os famosos Chernozen (solos negros) da Ucrânia.
Na região Sul do Município, onde a topografia é mais acidentada, os solos são mais diversificados, mais ácidos e menos férteis, com a predominância do Brunizen Vermelho, Litossolo, Latossolo Roxo Distrófico e o melhor deles, Terra Roxa Estruturada Eutrófica. É nesta região que o subsolo promete ser rico em minérios, conforme apontam as pesquisas que só agora tiveram início. É aí também que as condições de clima e solo começam a atrair os fruticultores, principalmente os de maçã e uva.


Vegetação

No município são poucas as áreas remanescentes da formação vegetal natural (mata pluvial tropical e subtropical) que recobria a região de Londrina. A mata dos Godoy (Reserva Florestal Estadual) e Reserva Indígena do Apucaraninha são formações florestais que demonstram a variedade de gêneros e espécies de vegetação que se encontrava na região.
Em razão do desmatamento verificado no município de Londrina, existem outras poucas áreas com vegetação natural, em propriedades particulares.

ATRAÇÕES TURÍSTICAS

» LAGO IGAPÓ

  

O lago é o resultado do represamento do ribeirão Cambezinho e foi inaugurado no 25º aniversário de Londrina, em 1959. O local foi urbanizado pela Prefeitura, com projeto paisagístico de Burle Marx. Equipado com piscinas, pista de aeromodelismo, possibilita a pesca e a prática de esportes náuticos como remo e vela, existindo ainda uma pista com 3200 m para prática de cooper.

Às margens do lago em extensa área gramada, está o Monumento à Bíblia, com 10 m de altura e revestido de granito e mármore. É constituído de quatro bases horizontais ao nível do solo entrelaçando-se em forma de cruz, tendo ao centro uma inscrição com os Dez Mandamentos. Está localizado no lado sul da cidade

» SALTO APUCARANINHA

É uma queda dágua junto à represa do Apucaraninha em plena reserva dos índios Kaingang, com 116 m de altura e 50 m de largura que pode ser apreciado de um mirante.

Há possibilidade de conhecer um pouco da história do Município visitando as turbinas da COPEL mediante autorização. (Usina Apucaraninha).

O acesso é feito pela Rodovia Celso Garcia Cid, por 52 km até o Distrito de Lerroville, e daí em diante 28 km sem pavimentação até o Salto.

  

» CATEDRAL METROPOLITANA

    

A Catedral de Londrina passou por três construções, o que causou uma enorme mudança desde sua forma original. A primeira Catedral foi construída em madeira no ano de 1934 e o primeiro vigário foi o Padre Carlos Dietz. Em 1943 foi inaugurada a Catedral de alvenaria, que mais tarde foi demolida em parte, para dar lugar à nova Catedral, construída em 1970. Resta apenas uma pequena parte da antiga construção. Em fevereiro de 1967, a Paróquia de Londrina foi elevada à categoria de Diocese, assumindo seu primeiro Bispo Dom Geraldo Fernandes. Em novembro de 1970 foi elevada a arquidiocese. Localiza-se na Avenida São Paulo, 390.

» CONCHA ACÚSTICA

Construída como uma variação dos tradicionais coretos existentes no passado Projetado pelo arquiteto Henrique Mindlin, sendo que o Engenheiro José Augusto Queiroz procedeu algumas modificações como tamanho, textura e bancos. A Concha Acústica foi inaugurada com grande festa em 01 de maio de1956. Na década de 60 a Concha foi tradicionalmente utilizada também para o footing dos finais de semana e apresentações artísticas. Ainda hoje é palco de manifestações populares. Localiza-se na Praça Primeiro de  Maio.

  

» MUSEU DE ARTE DE LONDRINA

  

Localizado no antigo prédio da quarta rodoviária de Londrina, foi projetado pelo arquiteto José Batista Villanova Artigas na década de 40, reconhecido como o mais arrojado marco da arquitetura nacional nos anos 50. Foi tombado em 1974 pelo Patrimônio Histórico do Paraná, devido sua importância como primeira obra moderna de Londrina. Restaurado em 1992 pela Associação dos Funcionários da Viação Garcia – Afuvigar, foi reinaugurado no dia 13 de maio de 1993.
Localiza-se na Rua Sergipe, 640.
Horário de visitação: terça-feira a sexta-feira das 9 h às 17 h, sábados das 8h às 13 h.

» ESTÁDIO DO CAFÉ

Inaugurado em 22 de agosto de 1976. Construído em formato de ferradura, com abertura para a cidade, proporciona uma vista privilegiada de Londrina. Possui capacidade para 45 mil pessoas e seu sistema de iluminação é um dos mais modernos. Possui também um amplo parque de estacionamento, entre outras benfeitorias. Está a 4 km do centro da cidade, no setor norte, próximo ao Parque Ouro Verde, ao lado do Autódromo Internacional Ayrton Senna. Localiza-se na Avenida Henrique Mansano, 889. Horário de visitação: quarta-feira a domingo a partir das 14h. 

 

» MUSEU HISTÓRICO PADRE CARLOS WEISS

  

Foi oficialmente inaugurado no dia 18 de setembro de 1970 e pertence à Universidade Estadual de Londrina. O nome é uma homenagem póstuma ao seu emérito fundador, organizador e primeiro diretor, Padre Carlos Weiss. Possui em seu acervo peças ligadas à Antropologia, Arqueologia, Pedagogia e Geologia do Estado, além de funcionar como um laboratório de desenvolvimento de pesquisas nas áreas de História, Geografia, Estudos Sociais, Ciências Sociais, Biblioteconomia e Comunicação Social. Funciona na antiga Estação Ferroviária, num prédio construído em estilo normando, fugindo dos padrões arquitetônicos usuais nestas edificações e buscando inspiração nos aspectos construtivos de Londres.
Localiza-se na Rua Benjamin Constant, 900.
Horário de visitação: segunda-feira a sexta-feira das 9 h às 11h30 e das 14h30 às 17h30, sábado e domingos das 9 h às 11h30 e das 13 h às 17 h.

» PARQUE ARTHUR TOMAS

A área onde encontra-se instalado o Parque pertencia à Companhia Melhoramentos Norte do Paraná que doou 60,25 ha à Prefeitura Municipal. No local funcionou a primeira usina hidrelétrica que abasteceu a cidade, durante 28 anos, sendo desativada em 1967.
A área originalmente doada, acrescida de loteamentos vizinhos, constitui-se hoje, num total de 85,47 ha destinados à preservação ecológica, com plantio de árvores, manutenção da área de florestas e cuidado especial à piscicultura e ao lazer, oferecendo aos visitantes horto florestal, a represa do Cambezinho, queda dágua, lago com pedalinhos, mirantes, lanchonetes e sanitários. Localiza-se à Rua da Natureza, 155. – Jardim Piza.

 

» PARQUE ESTADUAL MATA DO GODOY

  

A Mata dos Godoy possui 675,70 ha de floresta subtropical, na qual se encontra aproximadamente 200 espécies de árvores. Considerada um das principais áreas de preservação ambiental do Estado e uma das mais ricas reservas genéticas do Sul do País, abriga espécies raras como peroba, angico, cedro, figueira além de 180 espécies de aves silvestres.
Tornou-se Parque Estadual em 1990, e conforme o projeto do plano de manejo do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da Universidade Estadual de Londrina, vem sendo aberta ao público 10% da área para visitação com portais, trilhas interpretativas, opções de lazer contemplativo e programas de educação ambiental. Os outros 90% são destinados à pesquisa ambiental. Atualmente as visitas são mediante autorização do IAP.
Localizado a 15 km do centro de Londrina na Fazenda Santa Helena – Distrito de Espírito Santo.

» PARQUE DE EXPOSIÇÃO NEY BRAGA

Parque de Exposições Governador Ney Braga é um dos mais bem estruturados, completos e bonitos do país. Conta com três belos recintos de leilões, três pistas de julgamentos e uma de provas hípicas, um centro de shows e rodeios para 20 mil pessoas, auditórios, área reservada para parque de diversões, inúmeros pavilhões, praça de alimentação, via rural, currais, baias, silos e amplo estacionamento, entre tantos outros espaços que ano a ano se ampliam e contribuem para o sucesso cada vez maior das Exposições de Londrina.

  

» AUTÓDROMO INTERNACIONAL AYRTON SENNA

  

Criado através da Lei no. 4.968 de 08 de abril de 1992, foi inaugurado dia 21 de agosto de 1992 às 16h00 o Autódromo Internacional de Londrina.
Terceiro Autódromo Internacional construído no Paraná juntando-se ao de Cascavel e o de Pinhais, na grande Curitiba. Londrina, agora, pode assistir importantes provas do circuito nacional e internacional de automobilismo, como Fórmula 3, Fórmula Ford, Stock Cars, provas de motociclismo e outras.
O Autódromo possui uma pista principal com 3.146 metros de extensão,oferecendo também 30 boxes com capacidade para quatro carros cada, ambulatório médico, heliporto, 06 lanchonetes, torre de cronometragem de 04 andares, camarotes, amplo estacionamento e acomodações com capacidade para 35 mil pessoas.
Através da Lei no. 5.803 de 25/06/94, foi modificado o nome do Autódromo para Autódromo Internacional Ayrton Senna, em homenagem ao piloto brasileiro morto em 1/5/1994.

» BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL

Edifício público eclético da década de 1940, foi construído para abrigar o Antigo Fórum de Londrina. No ano de 1966, recebeu uma ampliação para a construção da Sala do Júri, onde hoje existe o Teatro Zaqueu de Melo. Ocupa uma posição estratégica no centro da cidade, próximo à Catedral Metropolitana.

Destacam-se como características plásticas do prédio os balcões e alto-relevos das janelas, além dos frisos que percorrem todas as empenas superiores da edificação, conferindo-lhe um caráter clássico e imponente, ainda mais acentuado pelo corpo saliente da entrada, uma cerimônia indispensável para um prédio da Justiça.
A Biblioteca Pública se caracteriza por ser um centro cultural no coração da cidade, promovendo não só leitura e pesquisa mas também fruição das artes plásticas através de exposições periódicas, acesso gratuito à internet, exibição de filmes e palestras.

 

» BOSQUE MUNICIPAL MARECHAL CANDIDO RONDON

 

Localiza-se na região central da cidade, ocupando duas quadras com algumas espécies remanescentes da cobertura vegetal primitiva. Foi doado pela Companhia De Terras Melhoramentos Norte Do Paraná. Hoje conta com uma área de 20.000 m², onde se encontram um parquinho infantil, banheiros e bancos para escanso. Recentemente passou por uma grande reforma, durante a qual foi construída uma mini-pista para cooper e instalados aparelhos para exercícios físicos.

» CALÇADÃO 

Foi implantado em 1977 e originou-se da reurbanização das praças Willie Davids, Marechal Floriano e Gabriel Martins, em um projeto do arquiteto Jaime Lerner. Interditou-se alguns trechos da Avenida Paraná ao tráfego de veículos, para serem destinados ao lazer dos londrinenses e turistas. No local concentram-se os pontos tradicionais de reunião dos cidadãos para troca de idéias e realização de negócios. No calçadão os artesãos expõem seus trabalhos e grupos de teatro apresentam-se, além de possuir coreto, bancas de revistas, lanchonetes, choparias e floriculturas.Localiza-se na Avenida Paraná, entre as Ruas Minas Gerais e Hugo Cabral.

 

 
» ANFITEATRO REVERENDO JONAS DIAS MARTINS  (ZERÃO)

   

Foi projetado pelo arquiteto londrinense Luís Cezar da Silva. Tem um formato de leque com capacidade para 6000 pessoas e cujas arquibancadas ocupam a encosta do fundo de vale. Com 13 m de profundidade e 27 m de largura, a área do palco é coberta, tendo ao fundo um conjunto de camarins. O local proporciona toda a infra-estrutura necessária para eventos ao ar livre. Nos finais de semana, são apresentados shows músicais e ginástica aeróbica. Localiza-se na Rua Gomes Carneiro, s/n – em frente a Ginásio do Moringão

 » CAPELA SÃO MIGUEL ARCANJO

   

Construída em madeira entre os anos de 1937 e 1938, foi refeita pela comunidade na década de 40, com a técnica de tijolos assentados sobre barro. Apresentando rachaduras, infiltrações e cupins, a capela foi totalmente restaurada em 1994, sendo um patrimônio da cidade, testemunho da história do município, que resgata a identidade de Heimtal, a comunidade mais antiga de Londrina.


» MESQUITA MUÇULMANA REI FAISSAL

A Mesquita Islâmica Rei Faissal é um templo muçulmano de arquitetura típica, cuja torre é dotada de um curioso minarete.
Inaugurada em 1975, foi uma das primeiras Mesquitas construídas na América Latina. Sua arquitetura tipicamente árabe chama a atenção de quem passa e do minarete os fiéis são chamados às orações.
Localiza-se na Rua São Marcos, 125 – Bairro Aeroporto.
Horário de visitação: Terça-feira, Quinta-feira e Sábado das 20h30 às 22h30.

 

» PRAÇA NISHINOMIYA

  

Projeto do arquiteto Humberto Yamaki, numa área de 24.500 m2. Possui um jardim com estrias, característica tradicional dos jardins japoneses; um portal feito em pastilhas porcelanizadas contrastando com as pedras; uma cachoeira e um morro com árvores e monumentos de Nishinomiya, do qual se destaca o Kasugatoto (lanterna do Templo Kasuga) como símbolo da amizade das cidades de Nishinomiya (Japão) e Londrina (Brasil), cuja doação foi feita em 1989. Está localizada na Avenida Santos Dumont

» PRAÇA ROCHA POMBO

Foi tombada, em 1974, pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná, para a conservação do conjunto arquitetônico formado pelos prédios das antigas estações rodoviária e ferroviária.
Localiza-se entre a Avenida Rio de Janeiro, Avenida São Paulo e Rua Benjamin Constant.

 

» SANTUÁRIO DA GRAÇA

  

Santuário de Graças Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schóenstatt, localiza-se no pátio interno do Colégio Mãe de Deus. Foi construído no ano de 1937 pelo padre José Kentenich e se constitui numa réplica perfeita do Santuário de Schóenstatt na cidade de Coblença, na Alemanha, do qual existem nove réplicas no Brasil. Um lindo jardim com bancos e caramanchões, além de um memorial em homenagem ao responsável pela propagação do Santuário, funciona como extensão do templo sagrado.
Situa-se na Rua Goiás, s/n.
Horário de visitação: diariamente das 7 h às 19h30.

 
» RESERVA INDÍGENA KAINGANG 

São aproximadamente 83 famílias remanescentes constituídas por 460 pessoas da tribo Kaingang, que cultivam arroz, feijão, milho em uma área de 100 ha. Utilizam palhas, penas e fibras vegetais na confecção de cestos, arcos e flechas que comercializam no local.

A visitação só é permitida mediante autorização da FUNAI – Fundação Nacional do Índio, que é a responsável pela administração da reserva.

 

» TERMINAL RODOVIÁRIO DE LONDRINA

O Terminal Rodoviário de Londrina José Garcia Villar foi inaugurado no dia 25/06/88.

O projeto original foi executado pelo arquiteto Oscar Niemayer, porém sofreu algumas alterações pelo prefeito Wilson Moreira. A construção é toda feita em zinco. Seu formato é circular, no centro o teto possui uma abertura que está sobre um jardim, ao redor do qual estão localizados os guichês para a venda de passagens, as lojas, farmácias, lanchonetes, banco e outras utilidades. As plataformas ficam na parte mais externa do círculo.

O terminal Rodoviário conta também com serviço de táxi, além de plataforma para embarque dos passageiros no sistema integrado de transporte coletivo , shopping 24 horas, praça interna e externa, além do Relógio de Sol.

 

» PRAÇA TOMI NAKAGAWA

  

Praça Tomi Nakagawa, construída em homenagem aos 100 anos da imigração japonesa, foi inaugurada em 22 de junho de 2008, com a presença do príncipe Naruhito, do Japão. Na praça, capa pedra, cada planta, cada traço ali presente tem um significado, na melhor tradição dos jardins japoneses. Nada existe por acaso. Gorin no to, Gazebo do Chá, Jardim de Areia, Chafariz, Toriis, Lanternas, Tsukubai, Pista de reflexologia, tudo tem uma razão que busca levar ao crescimento espiritual.
A comunidade japonesa contribuiu com o projeto da praça, desenvolvido pela arquiteta Marize Cecato e com o monumento erguido em homenagem à imigração, com 21m de altura, obra do artista plástico Yutaka Toyota.
Construída pela Prefeitura de Londrina, com recursos do governo federal, por meio do Ministério do Turismo, o nome escolhido para a praça, Tomi Nakagawa, homenageia uma das imigrantes que chegou ao Brasil no navio Kasato Maru, em 1908, integrando o primeiro grupo de japoneses que desembarcou no Porto de Santos.

Tomi Nakagawa residia em Londrina até outubro de 2006, quando faleceu poucos dias antes de completar 100 anos.